29 de nov de 2010

Silêncio



Quando as palavras não fluem
A alma silenciada adormece
Espera...
Algumas vezes, não é possível dizer
Necessário faz-se abrir o coração
Esquecer-se no vagar de um tempo
Quase interminável...
Quando não a nada a dizer
Há de se encontrar no silêncio
Possíveis respostas...
Duvidosos caminhos...
A reflexão pede o exílio
Não há consolo nas palavras
Espera...
Do que não se sabe
Do que se alimenta
Fome que sustenta
Há de vir a Ser!
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 25/11/2010
Código do texto: T2635753