22 de abr de 2012

Fragmentos


Desfaço-me em retalhos, fragmentando partes que antes me pareciam sólidas. Percebo que há vazios, espaços porosos que foram abandonados nas lembranças de vivências que antes pareciam histórias verdadeiras. Avaliando equívocos, sem nenhum lamento, procuro empreender o que considero ser melhor no momento em que me encontro, ciente que ainda cometerei enganos, desviarei as rotas, terei a sensação de naufragar e, ainda assim, continuarei investindo em sonhos e utopias. Nesses espaços, que parecem nunca preenchidos, encontro a insatisfação saudável de busca. Alguns deles pertenceram temporariamente a pessoas e situações que me pareciam essenciais. Percebo agora, que eram verdadeiramente passageiras, serviram-me apenas como aprendizado. Do todo que reconstruo, recolho a experiência, certa e que ainda me sentirei como fragmento de muitas histórias.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Enviado por Wanderlúcia Welerson Sott Meyer em 22/04/2012
Código do texto: T3626458


20 de abr de 2012

Passagem






Vez ou outra, penso que deveríamos nos entregar mais aos sonhos, permitindo que a simplicidade seja senhora de nossas ações cotidianas. Esquecer horários, adiar compromissos, ouvir quem se encontra ao nosso lado, observar atentamente e procurar compreender os sentimentos que nos comovem. Aceitar o que exatamente somos, reconhecendo a necessidade do autoperdão, da anuência de que muitas limitações ainda temos. Do carinho que devemos apresentar por nós mesmos, do entendimento de que vivemos ainda uma espécie de adolescência espiritual que nos conduz a reclamações e exigências indevidas. Impaciência que nos move diariamente. Busca desenfreada de objetivos que desconhecemos e seguimos. Domínio de emoções confusas que nos cegam, impedindo-nos de vislumbrar os horizontes e caminhos que a vida nos presenteia.
Vez ou outra, deveríamos confiar mais nas intuições que nos movem, deliciosamente conduzidos por nossa essência de amar.


r

12 de abr de 2012

Amor maduro


Será preciso tempo para regenerar as lesões provocadas pelo desvario dos sentimentos. Não é possível afirmar se era amor de fato. Serviu como alento enquanto próximo estava. Agora, que apreende e absorve palavras proferidas sem nenhum compromisso estreito com a verdade, analisando frases soltas e atitudes contraditórias, percebe-se claramente a ineficiência das palavras que não condizem com a verdade. Realidade tão intensa quanto a fugacidade dos anseios de porvir. Confia cegamente na maturidade que se adquire, grata pelo aprendizado rápido e eficaz de que o amor, de fato, só existe nos atropelos da convivência, no encontro dos desajustes, no sentir mesmo nas turbulências, na expressão de respeito pelo que se é. Constância inconstante de emoções indefinidas e necessárias. Amadurecimento vagaroso determinado por momentos de desordem interna e externa. Cumplicidade que se expressa apesar dos enigmas e contradições de seres opostos que jamais se completam, apenas evoluem entre possíveis deslizes e tentativas de encaixes.

2 de abr de 2012

Certezas de Amor

Estavas ali, sempre estivestes.

Não era matéria palpável


Nem ilusão temporária


Fazia parte dos dias


Desde sempre...


Um alento nos momentos de dor


Uma esperança de amor


Visitava-me nos sonhos


Acariciava-me o rosto


Registrava-se a presença


Partia...


Permanecia a sensação do encontro


Serenidade pretendida


Essência de sentimentos duradouros


Suavidade que se sente


Tal brisa suave tocando o corpo


Indivisível êxtase


Emoções desejadas


Puras, intensas


Tradução apropriada de Amor!

1 de abr de 2012

Partiu



Partiu deixando espaços que nunca foram preenchidos. É assim quando a paixão obscurece os sentidos. No impulso das emoções que pensamos existir, consentimos que a ilusão provocada por uma claridade que ofusca e cega, nos confunda o caminho. Turbilhão de desejos quase avassaladores, deixando-nos à mercê de sensações que nos parecem ser eternas.  Toda máscara só se sustenta temporariamente. Com o tempo a lucidez nos chama à realidade. Não é que ela seja dura, é apenas realidade. Atordoados pelas perdas que acreditamos absorver, permanecemos fortemente vinculados às dores internas. Lucidez temporária. Sofrimentos que geram amadurecimento. 
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Enviado por Wanderlúcia Welerson Sott Meyer em 01/04/2012
Código do texto: T3589184