Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

Construção

Preciso que as palavras cheguem para os sentimentos tomem forma. 
Vou tecendo, frases, poemas, pensamentos e textos.
Quando os leio, percebo-os como sentimentos que tomam formas, algo meu, nosso... 
Submerso e esquecido, que vai adquirindo
 formato, cheiro e cor.
Chegam, oportunamente, quando a alma parece transbordar.
Envolvem lágrimas, dores, alegrias e saudade.
Intensidade traduzida através de dedos inquietos que procuram descrever sensações antes dispersas e sem vida.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Amadurecer

Tenho profunda admiração pelas marcas de expressão que silenciosamente aparecem em meu rosto. Quando as vejo refletidas no mesmo espelho que reproduzia minha imagem quando adolescente, percebo que parecem ser trilhas e caminhos de escolhas 
conscientes e involuntárias. Construções de vida em que me compreendo como protagonista de uma história sem fim. Cada traço parece me contar as alegrias e lágrimas que versei. Exercício de amadurecimento que vem sendo produzido todos os dias, mesmo que se tenha certeza da incompletude do ser. Há algo de fantástico em perceber que meu rosto apresenta uma serenidade que antes não existia. Os olhos, que nunca virão de tudo, por vezes vagam a procura de lembranças que só a idade proporciona. Percebo, sem lástimas, a desconstrução física e o redescobrimento da essência. Certa tranquilidade, amparada pela observação dos sinais da vida e a fé racionada me favorece a capacidade de enxergar as possibilidades e resignar-me diante do inevitável.

Wanderlúcia Wel…

Fugaz

Foi assim... Partiu como chegou, subitamente, sem aviso. Embora ciente da fugacidade dos sentimentos, acreditou ser uma chance de vida, oportunidade única. Engano. Possibilidades continuam a existir quando a crença na continuidade reforça o direito de existir.

Corpo e alma

Não sabia dizer em que estação se encontrava, eram visíveis as alternâncias de temperatura provocadas pela presença alegria, ausência saudade. Existiam rumores de que estaria a mercê das variações provocadas pelas fases da Lua. Que nada! Quem realmente fomentava a mudança era o desejo. Desordenado, conduzido pelas lembranças seria o único responsável pela instabilidade dos sentimentos que hora acalentava, hora provocava desvarios. Instável sensação de estabilidade imprecisa. Turbilhão de anseios incompreendidos e experimentados. Dicotomia corpo onde se encontra, alma que divaga.

Espelho

Seus olhos refletiam minha alegria... E de tanto fitá-los me perdi. Quando você se foi... Pouco sorria. Sua ausência resgatou minha alforria. Caminho a procura de harmonia. Aspirando um amor que não me subtraia a paz.

Ilusão necessária

Seguramente viria com os sonhos ao anoitecer, era assim que sentia. Entorpeceria com predicados avessos e antagônicos Reduziria o raciocínio a pó, seduziria com palavras. Roubaria habilmente os segredos e alma Por alguns instantes provocaria o delírio Depois partiria... Desprezando sentimentos e anseios Alguns o chamariam de ilusão Outros entenderiam que, por vezes, a utopia fortalece. Despertando ambições, aspirações de felicidade.