27 de abr de 2014

Amor próprio



Não mais baterei solicitando entrada.
Nem direi o quanto eras importante para mim.
Não lhe dispensarei os ouvidos
Nem mesmo depositarei tua cabeça
No colo delicado e macio.
As possibilidades extinguiram-se
O descaso desfez o encanto
Seguirei sem mágoa.
Há vida, caminho, estrada...
Persistirei serena,
Não mais me consumirei em teus encantos
Basta-me de pranto!

Reflexões interiores



Dos avessos que percebo entre realidades que não procuro a ilusão talvez, seja porta entreaberta refletindo possibilidades. Temo que tomada por verdades que nem ao menos sei se permanecem, a dureza das ações cotidianas possa envolver o coração em um estado de torpor indefinido. Há reações que a alma desconhece, contudo, convive por não encontrar caminhos e saídas. Ao tempo, caberá o discernimento das escolhas que nem sempre são individuais. Circunstâncias de vida que direcionam sem consulta prévia, conduzindo vontades exteriores, adaptações que silenciam os anseios e entorpecem os sentidos.

25 de abr de 2014

Desordens

Outono que arrefece,
A pele percebe o frio.
Algo abrigado, retido na alma.
Desassossega, inquieta.
Anseio adormecido
Petrificado e esquecido
Começa a ser aperfeiçoado
Desperto, aceso...
Abrasado pelo imperativo
Desejo de entregar-se a vida.
Circundado por circunstâncias inesperadas
Aquietou-se...
Agora, revolto
Carece de serenidade
Ação segura do tempo
De um momento em que o ser
Ambiciona alegria..

20 de abr de 2014

Como na primeira vez...

Como se fosse à primeira vez,
Conferiria aos sonhos
Integrando-se ao delírio de felicidade plena.
Como de fosse a primeira vez,
Despertaria sorrisos aleatórios
Permitindo-se a condução insegura
Acidental e destemida
Como se fosse à primeira vez,
Bastariam três palavras
A insensatez envolveria a consciência
Despertando caminhos e desejos
Inimagináveis e intrépidos
 Lucidez cotidiana
Onde hábitos e conveniências

Absorvem oportunidades de vida.


12 de abr de 2014

Reflexos

Cuide-se para que a imagem refletida esteja próxima da harmonia interna que tanto almejas. 
Lembre-se que, aparentemente, podes omitir desajustes e desequilíbrios... 
Procure emitir somente notas consensuais e simétricas.

Equilibra-ser diante da vida é presente sem precedentes. 
Simetria que inspira calmaria. Pertinácia de busca infatigável pela paz!

7 de abr de 2014

Abraça-me

Abraça-me Senhor!
Conduzi-me pelos caminhos da vida, oferecendo-me alento para as dores que, por vezes, incomodam. Fortaleça-me para que posso oferecer, mesmo em silêncio, as lições apreendidas em Seu Evangelho de Amor. Ampara-me quando o peso das experiências e as lágrimas vendarem meus olhos e obscurecerem a esperança. Instiga-me a perseverar em atitudes que semeiem o aprendizado seguro do Amor. Humildemente rogo que me doutrine nas vivências enriquecedoras, e que não permitas que ansiedade e o desespero tornem-se senhores de minha vontade.
Abraça-me  Senhor!

Transmitindo as energias necessárias para o enfrentamento das vicissitudes diárias. Resigna-me ao entendimento de que mesmo antes de existir, já zelavas por mim. Que a doação, seja sinônimo de conduta diária e segura. Que ao abraçar o outro, possa doar energias regeneradoras e,se longe estiver, que através da oração consiga transmitir as bênçãos da paz, da serenidade e da fé.

4 de abr de 2014

Constatação

De fato, a maior obstáculo do ser humano no que diz respeito à sua evolução é a educação dos sentimentos. Reconhecê-los como verdadeiramente são, aceitá-los em profundidade e adaptá-los aos nossos imperativos evolutivos, constitui-se tarefa difícil e árdua, no entanto, possível.

Difícil, porque ainda nos propomos a conhecer o outro sem nos conhecer. Árdua, porque requer o reconhecimento de nossas fraquezas, submersas em nosso inconsciente que, vez ou outra, emergem despertando culpa e dor. Possível, porque todos os dias a vida nos oferece possibilidades de restauração e recomeço. O que nos cabe é o empreendimento de ações que favoreçam nossa trajetória.