4 de fev de 2016

Carta de Amor

Eu não queria ver lágrimas nos seus olhos, mas não posso impedi-las de cair. Posso apenas te oferecer colo e a certeza de que estarei ao seu lado seja qual for a sua escolha. A realidade quase sempre é dura e o sonho ameniza o caminho. Já estive no seu lugar... Pensava poder tudo e desejava infinitos. É preciso sentir! Hoje, me encontro no lugar de mãe, orientadora, educadora que ama... E nem é preciso lhe dizer o quanto é difícil... Descobri que não posso transformar o mundo, mas tenho o dever de me transformar; descobri que a trajetória nem sempre me oferece o que eu almejo, mas o que preciso; descobri que com o tempo desejamos apenas ter serenidade e que os bens que necessitamos são tão poucos e tão próximos que algumas vezes não os percebemos. São ínfimas descobertas minhas... Você descobrirá as suas... O que posso fazer? Sustentar-lhe de amor e acolher a sua alma quando necessitar; Orientar suas dúvidas e entender que nem sempre terei todas as respostas; caminhar ao seu lado, observando, protegendo sem interferir em suas escolhas e decisões. Deus, como tudo isso é complexo! Aos meus olhos você ainda não cresceu... E o instinto de protegê-la ainda grita dentro de mim. Perdoe-me! O que lhe desejo? O que sempre desejei desde o momento em que senti que sua presença em minha vida... Sempre senti! Seja feliz querida! Escolha o que vai lhe oferecer alegria... Mas, lembre-se que sempre existirão contratempos, circunstâncias inesperadas e também escolhas indevidas... Tudo isso faz parte da vida! Aprenda apenas a retirar das experiências o aprendizado e recomece todos os dias. Estarei sempre ao seu lado... Sentido, acolhendo, compreendendo e ofertando-lhe o colo de mãe e amiga... Mais mãe do que amiga... porque assim precisa ser. Amo-te incondicionalmente! Obrigada por me ensinar tanto... Observo-lhe amadurecendo e sei que não há o que temer... Você saberá o caminho.



Wanderlúcia Welerson Sott Meyer