21 de fev de 2017

Sabotagem

Sabotamos nossas escolhas, vivemos e revivemos ciclos intermináveis de contentamento descontente. Queremos... o que queremos? Nos tornamos repetitivos, não são as pessoas... Atitudes exclusivas de almas que pouco se conhecem.

Wanderlucia Welerson Sott Meyer





Tempo


17 de fev de 2017

Relacionamentos


Não são tão difíceis, na maioria das vezes os complicamos. Almas... diferentes, inicialmente pouco transparentes, que aos poucos se desvendam e, nem sempre se alegram com o que veem. Criam expectativas irreais.
O cuidado com o outro deveria ser diário, a gentileza uma rotina, o conhecimento de si uma necessidade. Vivemos de rótulos... “mulheres são complexas, homens são todos iguais” e, quando assim pensamos, generalizamos seres humanos. Impossível descrever, pesquisas não mensuram sentimentos.
Não creio que histórias se repetem continuamente, porque as experiências são únicas. Talvez, por desconhecimento, reproduzimos comportamentos inadequados e, nesse caso, realmente reiteramos erros. 
O fato é que devemos observar, conversar e ouvir. Crescer juntos, caminhar ao lado e partilhar sonhos. Simples... se não estivéssemos mergulhados em sentimentos egóicos recheados de satisfações pessoais e intransferíveis.

Uma alma sensível adoece ao lado de quem só consegue escutar suas próprias palavras, investir em seus próprios objetivos e sonhos.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer 

22 de dez de 2016

Feliz vida!

Gosto de falar de Jesus...
Os registros históricos nos contam que há mais de dois milênios, nascia um menino que transformaria o mundo. Na simplicidade de suas parábolas, traduziria condutas éticas que conduziriam o ser Humano à evolução. Há quem acredite que o mundo “está acabando”, que os valores estão escassos, que a violência aumenta todos os dias. Mas, historicamente percebemos que, muito lentamente, caminhamos para um processo de humanização. O bem, geralmente é tímido e trabalha silenciosamente.
Tenho amigos que não creem... Mas, conhecendo suas condutas, percebo que de certa forma praticam o Evangelho sem perceber. Manual de ética que lapida carinhosamente o Ser, sua mensagem é absorvida pela consciência de quem aspira por um mundo melhor.
Quanto a mim, e devemos falar somente por nós mesmos, afinal, sempre somos responsáveis pelas escolhas que fazemos... Conduzo minha trajetória errando e acertando, exercitando o perdão e o autoperdão, semeando o que tanto recebo aos que necessitam de amparo, conduzindo meus dias, ciente da responsabilidade que tenho com cada pessoa que convivo, buscando compreender atitudes e ampliar os horizontes da percepção. Somos ínfimos, mas cada um, na missão que lhe foi conferida tem à oportunidade de contribuir para a construção de um mundo melhor.
Dezembro... Deveríamos nos entregar à GRATIDÃO! Mesmo os que sofrem, mesmo nas dores que nos lapidam. “Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á.” Certeza de quem já ascendeu das cinzas, acreditando que há algo que nos impulsiona, quando permitimos à condução segura e agimos a favor da vida!
Que Jesus continue conduzindo o meu caminho, o nosso caminho, o caminho de todos... Silenciosamente, generosamente... Que este Natal seja mais uma página digna de ser recordada! Lembre-se de agradecer... E que o ano de 2017 seja sustentado pelo otimismo...


E assim não andeis inquietos pelo dia de amanhã. Porque o dia de amanhã a si mesmo trará seu cuidado; ao dia basta a sua própria aflição. (Mateus,  19-21, 25-34).

4 de nov de 2016

Reflexões

Refletindo no espelho marcas de história, segue caminhos de uma trajetória sempre indefinida. Não sabe dizer se o que vê lhe incomoda, apenas recorda-se do sorriso despretensioso que com o tempo foi substituído por traços contemplativos e circunspectos. Internamente, há algo de incômodo: palavras nunca ditas, sonhos reservados, desejos corrompidos e necessidades esquecidas. O reflexo indica o reverso do que a alma almeja. Certa leveza, ideias desconexas, uma vontade perplexa de redirecionar direções. Enquanto houver vida, a possibilidade é sempre infinda. Talvez seja por isso que apesar do cansaço intua e inclua a esperança nos reflexões que sustenta.

21 de out de 2016

Reflexões interiores

Nos dias em que a alma pede calma,
Almeja  somente  repousar...
Atropelos de um cotidiano insano
Equilíbrio distante
Vida que passa em um instante
Transborda lágrimas
Que constituem somente o desejo de paz!
Estar em simetria nesses dias
Exige esforço hercúleo e contínuo.
Há dias, onde tudo está escuro
Cansada, segue a alma em desalinho
Confere com o tempo
Que pouco se precisa para Ser.
Silêncio... Clama o pensamento!
Rogando que se ouça o que oculto...
Acirram incômodos e distúrbios
Esse barulho externo, estranho e denso
Contrasta ao desejo de harmonia
Estranha sensação de incompletude
Que sabe o Ser humano sobre a vida
Admitindo-se arrastar pelo caminho?
Há tanto para entender sobre si mesmo
Há tanto o que inquirir dentro de si...
Repousa a alma...
Intui... que tudo o que te aflige
Anseios tão elementares...
Convertestes em inatingível.

8 de out de 2016

Contornos

Deus... almejo tanta coisa e, no entanto, sinto-me abastada.
Desses quereres... embaraço desejos, possibilidades e necessidades
Urgência de momentos de tranquilidade
Instância em viver somente a realidade
Investindo sentimentos que podem deixar saudade
De longe...  diviso o que me alimenta
A simplicidade que certamente me sustenta
Por vezes, em prantos rogo-lhe descanso
Portanto e, no entanto, admitindo o desencanto
Retomo a trajetória de percalços e histórias
Embora pouco saiba deste tal futuro
Ensaio pensamentos de um destino seguro
De traços do recente, ofereço contornos ao presente.
Abastada e silente, confiro aos dias o que me vem a mente
Entre o cansaço e a esperança teço, repleta de lembranças
Insertos  e tortos caminhos de vida
Das palavras não ditas, imprime-se a poesia
Gritos silenciosos, momentos de alegria
Expressa-se na letras o que a alma não apreende

Traçados inquietos de um subconsciente.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

26 de set de 2016

Pensamentos

Já não sei dizer se a tecnologia trouxe o vazio, como alguns afirmam, ou...  Se esse vazio já existia e as pessoas condenaram a modernidade por não aceitarem a confusão interna e a solidão em que se encontram.  A busca de uma felicidade eterna e desenfreada, o estar sem ser, a descomedida aquisição material, o falta de cuidado com o que se adquire (os descartáveis)... A transferência doentia de parceiros... Estamos nos esquecendo de que relacionamentos exigem cuidados, que a perfeição é algo inatingível, que nossas ilusões podem adoecer quando realidade é o que nos sobra. Hoje, me sinto ultrapassada... Valores enraizados parecem não fazer nenhum sentido, anseios de simplicidade parecem tão ou mais distantes que a aquisição de um bem material de altíssimo valor. Confesso que algumas vezes, já não consigo emitir o mesmo brilho no olhar, que o sorriso anda meio desvanecido e por alguns momentos, sinto-me uma estrangeira que parece não se fazer entender. Contudo, estou farta de esperança...  Talvez, por conta da fé apreendida, pela experiência inevitável, por testemunhar a vida, sentido-a...  provocando contextos de mudança através de uma prática quase coerente ( às vezes, a dúvida me conduz à ponderação, o cansaço interrompe temporariamente a trajetória, a tristeza me visita sem fazer morada). É a  esperança... Essa utopia de felicidade possível, de vida simples, de travessia diária, de crença na evolução do Ser, de análise histórica do quanto “homens e mulheres” já foram e ainda serão, de inspirar-me nos grandes missionários do mundo (pessoas que transformaram através da retórica, da ética, do Amor e da paz!)... É assim que sigo! E quando o coração aperta, entrego-me  ao silêncio, faço uma prece, comprometo-me com a serenidade e procuro escutar meu coração!

19 de set de 2016

Abstrato


As pessoas não são somente o que desejam ou o que delas desejamos...
Toda história para se romper exige maturidade e labor.
Não se recomeça um caminho, alastrando estilhaços de mágoa e dor.
Quanto mais ponderado se é... Mais se reflete!
Quanto mais se ajuíza... Também se consome...
Promessas de mudanças internas são vagas, quando o “homem velho” ainda controla o inconsciente.
Qualquer brecha... É ele que insurge...
E quem observa, tem a impressão que todo esforço foi em vão.
Essa abstração de uma poetisa pensativa
Perdida em ambíguas reflexões habituais
Apenas reflete as arestas da vida...
Vida de quem verdadeiramente existe
Infere, discorda e distraí...
Admitindo que o caminho prossiga
Semeando canteiros de flores
Molhando-os com suas lágrimas
Alimentando-os com seus anseios.
Tecendo um verídico desfecho

De quem crê que para todo destino há um eixo.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer