30 de abr de 2011

Tradução poética

Tradução poética

A alegria de um poema é a estética
Tão ética quanto à junção de palavras
Entrelaçando-se
Para falar do que todo mundo sente
Mas, não expressa
Por pura pressa.
Roubam-se pensamentos, sentimentos
Imagens transformadas a força dos ventos
Em lamento, saudade, amor e viagem.
A alegria da arte invade por toda parte
Puros desejos que ardem
Se ainda existissem desejos ardentes
Que pudessem ser puros
A alegria da poética é libertar-se em expressão
Tão próxima a utopia
Tão necessária como se conduzia
Jamais vazia
A alegria do poeta é expandir-se em palavras
Oferecendo-nos significados
Não ao acaso
Sentimentos pausados
Ardentes, insanos
Agem lentamente a favor do tempo.
Alegria de sentir-se tão próximo de si
Tão distante de quem lê
Expressando como por encanto
O indivisível Ser.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

28 de abr de 2011

Recordações



Em prece me disponho é enumerar as bençãos que tenho recebido nesta existência.
Me recordo da infância, do carinho...amor incondicional que recebia, todas às vezes que chorando, corria para o colo seguro das pessoas que me amavam...
São lembranças felizes de puro aprendizado. Recordo-me das vezes em que me ajoelhei para rezar o terço com minha avó. Das lágrimas que ficaram presas em seus olhos, enquanto aceitava corajosamente a vontade de Deus.
Lembro-me das gargalhadas do meu avó que nasciam de dentro. Seu jeito culto e inteligente de vislumbrar a vida. Quando algo acontecia, ele dizia : “podia ser pior”.Na época eram só palavras...hoje, sei que tudo realmente pode ser pior.
Cada um, na sua forma de amar, transmitindo o que seria necessário.
Aprendi a ver a vida com os olhos do amor! A amar verdadeiramente meu semelhante, a me importar com as pessoas, a sofrer junto e enxugar lágrimas, a ouvir, analisar, ponderar o que for preciso e a ter fé.
Essa última, me serve de sustentação e alicerce. Sempre que algo me acontece, seja na alegria ou na dor, encontro na fé a paciência que necessito para enfrentar as adversidades e, no coração, o sentimento de gratidão e reconhecimento por tudo que recebo.
Há quem me veja como sonhadora...utópica...ingênua...mas, o que realmente importa pra mim é o que sinto.
Como se não bastasse os familiares de sangue, a vida vem me presenteando com amizades sinceras, reconhecimentos de afeto que somam e se transformam diariamente. Recebo cada um que chega, com a mesma alegria e amor que me receberam.
Curiosamente, sinto que a cada pessoa que conheço, me renovo... daí me sentir em constante mudança. Parece-me que estamos mesmo neste mundo para repartir. Deixando partes de nós no coração das pessoas e acumulando sentimentos de amor, respeito e admiração de uma forma infinita e maravilhosa.
Agora, enquanto escrevo, sinto-me preenchida pelo amor de todos que me vêm à memória. Os que passaram e deixaram marcas profundas e inesquecíveis; que mesmo que distantes, estão presentes; preenchendo minha vida com suas lembranças. Eu não saberia dizer quantos...mas me recordo de todos...
Sei que muitos ainda virão...que com cada um deles estarei aprendendo. E, assim vivendo, que consigo transformar meu caminho em um jornada de amor...interminável e valiosa.
Em prece...ainda não encontro palavras pra agradecer. Mas, lágrimas de pura reconhecimento e alegria invadem minha face. Fecho os olhos... e a única palavra que me vem a mente é : OBRIGADA!






Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

27 de abr de 2011

Sóbria

Basta-me a tradução de uma dor, 
Para que todas as outras cresçam como ervas daninhas. 
Destituindo todas as esperanças que ainda possuo.
Viver sombriamente por detrás dos desencantos. 
Desvencilhar da felicidade que almejo, 
Abdicar, como uma falsa heroína dos sonhos
Que de tão simples tornaram-se inatingíveis
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 27/04/2011
Código do texto: T2934686

21 de abr de 2011

Ressurgir

Ressurgir...

Quando Jesus se colocou entre nós, nos deu a primeira grande demonstração do seu Amor!
Crescendo entre os homens, ofereceu-nos a receita para que pudéssemos evoluir.
Quando morreu, através da insanidade e desejo de poder dos homens, nos deu a vida para que compreendêssemos a grandiosidade de sua doação.
Quando “ressuscitou”, apresentando-se eterno, nos ofereceu a lição do Amor Maior, a continuidade da vida, o renascimento em Cristo!
Deus nos oportunizou a convivência e os ensinamentos necessários através de Jesus...
Milênios depois, ainda nos encontramos distantes daquele amor que já deveríamos ter aprendido.
Mas, continuamos a nos sentir verdadeiramente amados por Deus, que diariamente, nos convida a RECOMEÇAR, RENASCER...

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T907558

20 de abr de 2011

Belo

É manhã,
O Sol aquece minha alma
O tempo pede calma
Incoerência exercida pelo desejo
Esperanças de tudo que almejo
Ilusões que nascem como um lampejo
O vejo onde não te encontras
Como a inconstância das ondas
Limito-me a dizer que sondas
O que acalenta meu coração
Não pressuponhas o que sabes
Entrego-me em verdade
A tudo o que não me cabe
Só para poder ter saudade
Despertando-me a certeza
De que a tua beleza
Encontra-se em teu coração.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 20/04/2011
Código do texto: T2919865

12 de abr de 2011

Não demore...

 Venha e traga consigo a alegria que perdi
Faça-me sorrir, 
Desperte-me com um beijo
Não me fale seus desejos, 
Deixe que os adivinhe
Intuitivamente perceba a maturidade que procuro
Lentamente desperte a alegria que adormece
Venha e remova meus sonhos
Deixe-os livres, 
Soltos o suficiente para provocar rumores
Não por serem vis, provocar rubores...
Traduzidos no teu olhar, 
São sinônimos de magia
Rompem paradigmas, 
Levitam leves induzidos pelo vento
Venha antes que o tempo me leve
Envolvida estou e me entrego
É o tempo que não espera, 
A ausência que exaspera
E tudo o que se aspira...
É que venhas!
Devolvendo-me a quimera.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 12/04/2011
Código do texto: T2904792

7 de abr de 2011

Reencontro de almas

Essa noite meu espírito foi ao encontro do seu.
Faz tanto tempo que fisicamente nos afastamos
Ainda assim, em dias inesperados e noites de saudade,
Minha alma busca a sua...
Penso ser uma estranha cumplicidade.
Já não creio em amor eterno...
Realmente, se analisarmos pelo prisma da eternidade,
Seria depositar em uma só pessoa todos os meus sonhos...
Pequeno demais para quem muito anseia.
Visualizo diferenças onde via um só caminho...
Minha alma ainda pede presença,
Tanto que ainda perco o raciocínio
Quando penso em especificamente em você.
As lembranças, apesar de distantes...
Hora se tornam tão presentes que, confunde-se com a realidade.
Consumida por um sentimento absurdo de passado,
Vago...
Tentando entender o que inexplicavelmente incomoda,
Justificando meus sentimentos e pensamentos
Sobrevivendo às tempestades que me reserva à lida...
Tudo em vida reporta-me aos momentos que passamos,  
Palavras ditas e sentidas,
Longas dores de solidão e ausência definidas.
À medida que os anos passam
Minha face já não apresenta viço,
Meu ser ainda pede sua presença...
Ligação insana de alma retida,
Estranha inconseqüência de quem jamais se sentirá liberta.
Desperta,
Faço-me realidade...
Há no olhar, traços definidos de saudade. 
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 07/04/2011
Código do texto: T2894194

4 de abr de 2011

Oferta de vida



Há tempos em que é impossível olhar o espelho e ver o sorriso. A alma chora e, o choro transborda todas as mágoas, dores e recalques que vivenciamos. Atordoados pelo medo nos fechamos em pensamentos que pouco edificam e, nos transformamos em poços de amargura, insustentáveis e temerosos. Até nos dispormos a observar o movimento contínuo da vida e a evolução oferecida pela natureza, que nada nos pede, ofertando-nos diariamente o recomeço e a renovação, permitimos que o pessimismo e a lamentação tornem-se senhores de toda nossa existência. É preciso observar que em meio às catástrofes a natureza, sabiamente, continua a produzir sementes que germinam, à fecundação contínua da vida, frutos que nos são oferecidos gratuitamente e belezas que sempre despertam o melhor de nós. Lembram-nos que a vida é contínua, eterna e que por mais prejuízos que tenhamos causado à natureza... Os pássaros continuam cantando, as árvores florindo, as flores aromatizando e produzindo paisagens de rara beleza. Só quem mantém os olhos e coração abertos, fortalecidos pela fé e o compromisso diário com sua própria evolução, pode caminhar sorrindo e libertando à sua volta os seres que ainda não descobriram que o caminho de todos é o caminho da Luz.


Wanderlúcia Welerson Sott Meyer 
Publicado no Recanto das Letras em 04/04/2011
Código do texto: T2888500