25 de ago de 2013

Constelações

Fui contar estrelas, hábito antigo que adquiri na infância, buscando no infinito, palavras de alento que pudessem descrever meus sentimentos. Observei as que meus olhos alcançaram e me perdi concentrada nas dúvidas que assolam. São minhas e múltiplas, tão incontáveis quanto às estrelas que vejo. Fiquei imaginando que cada uma delas correspondia às pessoas que encontrei nesta existência. As que partiram... As que nunca chegaram a ser... as que marcaram pelos sorrisos e as que só lágrimas trouxeram. A constelação correspondia ao conjunto de sentimentos diversos que naquele momento nutria. Algumas grandes, brilhantes e definitivas; outras ofuscadas, pequeninas e esquecidas. Todas em um contexto harmônico definido pela inconstância de luzes elusivas. Simetria complexa de vida onde cada um ocupa o lugar que lhe cabe. Sábio silêncio iluminado que neste momento transborda serenidade e paz. Certeza de pertencimento, estamos onde podemos florescer. E as dúvidas que ainda permaneciam, pareciam menores, menos densas. Sabe-se da espera que pode ser breve, espera-se não ser longa. Destino para todo sempre inconcluso... Eternidade, eterna idade!

7 de ago de 2013

Abstrações

Entardecer silencioso, pensamento em desalinho
Desejo oculto, ignorado e vivo
Procuram-se os olhos, pretende-se o toque
Resgatam-se sonhos, soçobram pensamentos
Alimenta-se de um amor que sempre soube existir
Não há realidade que lhe prenda
Raridade de amor sempre esperado
Corações que se pegam
Integram emoções e lampejos
Iluminariam o mundo
Contemplando a simplicidade almejada
Conferindo-lhe vida!


5 de ago de 2013

Permissão de amor

Peço permissão à vida para encontrar aquele que me encanta. 
Há algo de contradição em suas palavras 
Algo de triste em seu olhar 
Algo de serenidade, ocultando desejos Algo delicado em sua alma firme 
Maturidade adquirida pela lida 
Sedução sentida, pretendida. 
Peço permissão a vida para entregar-me 
Deixar-me conduzir pelo amor que sinto 
Sentir suas mãos tocando meu corpo 
Beijá-lo o suficiente para me perder 
Senti-lo uno e próximo aos meus anseios 
Tocá-lo suavemente ]
Deixando-me conduzir pelo fascínio dos sentidos 
Perdidos... 
Êxtase de me sentir mulher!