Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2008

Responsabilidade de amar

Responsabilidade de Amar



Nossos sentimentos não estão no coração. Essa é uma forma que encontramos pra expressar o amor que sentimos. O coração é a expressão da vida, o sangue que bombeia, garante-nos a certeza de estarmos vivos. O vermelho, a pulsação contínua, tudo como sinônimo de sentimentos fortes.
Esses, podem até estar contidos no cérebro, mas, não encontraria nenhum símbolo mais significativo do que esse órgão fantástico, que representa a vida, para expressar o amor.
É o coração um terreno fértil. Nele semeamos aquilo que quisermos. Produzimos e transmitimos o que somos. E despertamos também sentimentos nas pessoas com as quais convivemos ou, simplesmente conhecemos.
Não, não simplesmente conhecemos...
Quando conhecemos alguém, misturamos mundos, semeamos. Nessa semeadura, muitas vezes nos esquecemos da responsabilidade que temos com outro. Com os sentimentos que despertamos, com as imagens que são criadas e aquelas que, com nossas atitudes e palavras, cultivamos.
A fragilidade dos …

Amor

Deveríamos namorar eternamente, sem o compromisso estreito do cotidiano. Traduzir nos olhos o amor que sentimos; nos gestos, a alegria de estar ao lado. Cuidando carinhosamente do outro, como se fôssemos plantas em eterno estágio de germinação.
Depois de um tempo de convivência, a intimidade nos afasta. Tão contraditório dizer isso! Como depois de conhecermos e sermos conhecidos pela pessoa com a qual vivemos e convivemos diariamente, poderíamos nos sentir tão distantes?
Há muitas justificativas pra isso, o tempo, o dinheiro ou a falta dele, o hábito e, a pessoa que está ao seu lado deixa de ser aquela que um dia lhe despertava instintos e desejos. Tornam-se amigos... isso, quando conseguem se tornar amigos, porque há casos em que o ódio, o desrespeito e a opressão, passam a falar mais alto que o amor.
Deveríamos nos apaixonar diariamente, como naquele primeiro dia em que os olhos se entorpecem, o coração dispara, o abraço traduz o desejo de se transformar em apenas um. Mas, deixamos …