29 de mar de 2015

Alma inquieta



A serenidade anda me visitando
Não tenho sonhos de felicidade plena
Nem espero muito do pouco que ainda ofereço a vida
Ando sorrindo aleatoriamente
Chorando distraidamente
Vivendo intensamente
Perdoando-me verdadeiramente
Exercitando a fé incondicionalmente
Abraçando deliberadamente
Sentindo descaradamente
Fato é que apesar das situações adversas
De palavras indigestas
Da alma inquieta
Meu coração faz festa
Ando amadurecendo...

Wanderlúcia  Welerson Sott Meyer


 

24 de mar de 2015

Vida

Vida contínua, seguida
Quanto mais longa, mais desalinho.
Bom vinho que o tempo amadurece
Ou endurece...
Transformando-se em amargo vinagre
Dias de glória, ternura e vitória.
Dias de dor, deserto desamor.
Vida... É vista cansada
Alma lavada
Luta... desconhece-se a estrada
Caminhos que nos conduzem ao nada
Outros... reproduzem a tal felicidade desejada
Vida de mistérios, impropérios e lamentos.
Amores e rumores
Quando menos se espera
Permite-se conduzir por quimeras
Ir e vir interminável
Folha ao vento, mar bravio.
Ponto de bala sem fio.
Dura, difícil de engolir.
De outro lado a lida
Complexa e indefinida
Vai formatando ferida
Que cicatrizada e amadurecida
Pede mais vida!
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer