Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

Amor

Quando é que se sabe o momento que alguém se torna eterno em sua vida? Quando as lembranças nos visitam periodicamente. Quando inquieta saber que o outro não está bem. Quando é possível perceber a dor alheia mesmo de longe. Quando permanece a sensação de incompletude. Quando a distância e o tempo, não proporcionam o esquecimento. Quando o perdão é exercício diário e indolor. Quando se acredita que o outro possa ser feliz além de seus limites. E, por fim, quando se respeita a decisão de partir No desejo terno de felicidade possível Penso que tudo isso é o que se chama de Amor!
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Amor maduro

A maturidade nos ensina que príncipes não existem, que o amor só é para sempre se for construído e reconstruído diariamente através de erros e acertos, certezas e equívocos. Quando se faz uma escolha, faz-se necessário investir no caminho. Com o tempo se percebe que não basta trocar de “roupa”, mudar os “móveis”, reformar o exterior. O fundamental é descobrir que a perfeição é inatingível. Como seres em evolução, estaremos sempre lidando com emoções e sentimentos dicotômicos, pensamentos e palavras que edificam e destroem. Não se enganem, nossa maior escola é o lar, exercício de paciência, tolerância, amor e, principalmente, perdão.

Respeito... sou Mulher!

Dúvida

Se me derem motivos para perder o equilíbrio, preciso buscar a compreensão e entender a limitação do outro, isso já aprendi e exercito. Difícil movimento de resignação que me envolve em sentimentos dúbios e complexos. Só fico me perguntando e, talvez porque ainda não seja tão evoluída assim, qual é o limite da acessão.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
"A dúvida nos atormenta do berço ao túmulo." Victor Hugo