11 de jul de 2008

Silêncio

Há um silêncio...
Não porque não tenha nada a dizer.
Há algo que cala fundo.
Onde proferir palavras
Já não basta.

Há um silêncio...
Que atordoa, empedra.
Não condiz com os sonhos de outrora.
E caminho, lentamente
Ouvindo ao longe o ardor
De sentimentos que perturbam.

Há um silêncio...
E já não há quem possa rompê-lo.
Segredos ficaram guardados para sempre.
Desejos reprimidos...
E ao longe ouço sua voz a me chamar.

Há um silêncio...
E nesse silêncio sinto minhas lágrimas.
Caem copiosamente...
Há o desejo...
Há o anseio...
Falta-me coragem!

6 de jul de 2008

Confissões




Gosto de ser mulher,
Menina, mimada
Às vezes, deixando-me ser domada
Mas, senhora absoluta de minhas vontades
Gosto de ser amada, querida
E até me sentir perdida
Chorar por nada
Sensibilizar-me,
Deixando que as lágrimas
Encharquem meu rosto.
Gosto de ter dúvidas
E me mostrar incerta, indecisa
Espontaneamente bela
Mesmo que seja só pra mim.
Gosto de sorrir ingenuamente
De mostrar-me frágil
Quando na verdade sei que tenho
Todas as respostas que preciso
Gosto de ser feminina felina
Um misto de desejos
Que apenas eu conheço.

3 de jul de 2008

Filhos


“Na alegria e na tristeza você sempre nos amou. Sempre nos respeitou.Tudo que está em seu coração foi passado para o nosso.Você é a luz do luar, Uma estrela a brilhar! Sempre vai ser uma super heroína pra nós...Sempre resolvendo tudo.


Mãe, nós te amamos!Sempre iremos te amar!”


Letícia, Artur e Rafael(Meus filhos)


Viajei por apenas dois dias... Quando voltei minha geladeira estava repleta de fotos e minha filha leu pra mim a poesia que haviam feito quando estive ausente, com direito a fundo musical, muitos beijos e abraços! rsA imagem que têm aumenta nosso compromisso e responsabilidade!Tenho consciência que não sou tudo isso... Mas, no que diz respeito ao amor que sinto, é imensamente maior do que imaginam...

2 de jul de 2008

E por falar de amor.

A quem possa interessar...
Preciso de alguém que se habilite a desvendar
Os mistérios de um coração
Que insista que vale à pena crer nas palavras.
Que o sentimento é o que move os instintos.
Que possibilite a compreensão e aceitação
Incondicional daquilo que se é.
Sem exigir posturas,
Impor limites,
Determinar comportamentos,
Estabelecer caminhos.
A quem possa interessar...
Esse coração ainda sonha.
O tempo, não causou tantos estragos.
As dores foram suportáveis.
As marcas, muitas.
Há o desejo insano de amor.
A vontade latente de que não adormeça.
Impedindo que pedras
Solidifiquem seu interior.
A quem possa interessar...
É preciso desvendá-lo.
Lapidando carinhosamente
As partes que sólidas
Pesam dentro do peito.
Que ainda quer amar.