Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2016

Conto Cotidiano I

Sorrindo como um louco, ele atravessou a rua sem observar os veículos. Parecia estar em um estado de transe interminável. Ouvira, logo cedo, que era sábado, era preciso aproveitar o dia. Correr, caminhar, sair... A voz da locutora povoou seu cérebro cansado. Havia trabalhado, como sempre. Chegava o final do mês, por ironia, o mês onde se comemorava o trabalho. Sua conta no vermelho, seu dinheiro escasso, sua vida pobre e vazia. Aquele chamado parecia influenciá-lo a continuar sem pensar, sem sentir... Continuar por continuar. Passo cambaleante, olhar alheio, vazio interior crescente, demandas de vida sem a correspondência necessária. Não chegou a terminar o trajeto. Seu corpo, caído... Ideias confusas... Parou para descansar em plena avenida.
... Vivemos em um mundo de ditaduras. De alguma forma, de qualquer maneira... ás vezes somos obrigados a parar!
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Gentileza

Seja cortês em qualquer circunstância... Ofereça “bons dias” a todos... Os que absorverem as vibrações seguirão renovados, impregnados de bom ânimo. Os que não observarem ou não desejarem sua cortesia... Ore por eles... Abrace sem distinção... Cabe ao ser humano distribuir energias revigorantes Lembrando que quem doa, mais recebe. Contudo, se alguém não se disposição a acolher o afeto sincero... Redistribuía e caminhe. Há inúmeras pessoas que necessitam de sua atenção! Serve, caminha e confia! Existem indivíduos que são como cactos Belos, repletos de espinhos, preferem não ser tocados, machucam...
Cabe ao Amor, aguardar e acatar que o fruto amadureça.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Instantes

O vento sussurra remexendo lembranças
Hoje, longe dos olhos...
Resta-me silenciar o desejo e seguir sem tua presença.
Inserida e distante em mundo que exige presença constante
Percebo, na suave brisa, o frescor de tuas mãos atentas.
Distantes... olhares, palavras...
Atitudes demarcadas na alma um tanto cansada.
Dúvidas pertinentes, insistentes...
O silêncio, a espera, o entorpecimento dos dias
As lições do caminho apreendidas
Outras tantas, esquecidas por conveniência
Passado o instante de entrega, sentimento...
Resta-me caminhar às cegas
Na procura do que desconheço
O vento, o som, o tempo...
Presença etérea, discreta e serena
Sustentam-se os dias
Passageiros somos desse movimento
Vento que me leva...
Doce vento!
Me lembre outras vezes
De parar o tempo... Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Direito à diferença

A vida pede mudanças, todos os dias a natureza se transforma e, aprendemos que a renovação é necessária, contudo, existem alguns conceitos que precisam ser preservados para que o Ser consiga harmonizar-se com o meio em que vive. Vivenciamos uma época de mudanças de paradigmas, rupturas... precisamos nos prevenir das atitudes impensadas, dos conceitos deturpados, do incentivo à correria dos dias e, o pouquíssimo tempo que nos dispomos a pensar. Isso tem se apresentado no consumo desenfreado, nas atitudes de violência aceitas com naturalidade, nos conceitos de dignidade e honestidade observados como algo sobre-humano, nas delações premiadas que aceitamos e transformamos réus em heróis, nas opiniões que não se formam por conhecimento do processo Histórico, da influência absurda da mídia, hoje, muito mais próxima e disponível, que modela opiniões e aliena. Tenho medo que a geração vindoura perca a vontade de ser Agente, de ser crítico, de não acreditar que à condição humana exige que o Ser …

Sempre presente...

O presente se parece com uma flor que desabrocha ao amanhecer...
Temporário, belo e digno de ser observado.
Visto de perto é grandioso!
Olhares e corações estacionados no passado...
Pouco ou nada evoluem
Distanciados pelo desejo de futuro...
Raramente percebem... Nada constroem
Inspire-se nas lições do dia
Envolva-se com as situações que vivencias
Agradeça pela dor, pelo amor
Sustente-se na fé, siga...
Presentes estão todos os presentes do tempo presente!

Wanderlucia Welerson Sott Meyer

Caminhos