1 de fev de 2009

Tempo


Chega um tempo que é necessário aceitar o óbvio e se deixar levar pelo caminho.
Tempo em que o coração se cansa de combater e que necessita acolhimento.
Tempo em que os sonhos são traduzidos em realidade.
Tempo em que o peito aperta e as dores florescem.
Tempo em que o que se quer é a solidão.
Chega um tempo em que a maturidade lhe impede o delírio.
Tempo em que é chegada à hora de tomar decisões.
Tempo em que se sabem as dores que escolhas podem causar.
Tempo em que não mais se pede... Cala-se!
Tempo de reestruturar lembranças e recordar o necessário.
Chega um tempo em que não se acredita em palavras.
Tempo em que as atitudes precisam ser intensas.
Tempo em que o amor aceita, mas, não sustenta.
Tempo em que se não se quer mais sofrer.
Tempo de esquecer!




Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 01/02/2009
Código do texto: T1416306