Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

Saudades

Como a chuva que lava as impurezas das ruas
Preciso de algo que alivie lembranças
Amenizando a ansiedade que sinto
Revigorando esse ser infinito
Renovando os alicerces ruídos
Restaurando o que fora destruído.
Preciso de água para limpar meus poros
Reintegrando o que em mim foi diluído.
O cheiro que ainda sinto... A saudade...
A luta interna pela liberdade.
Prisão sem paredes...
Mares e redes...
Desejo... anseio...
Domínio de sentimentos
Intrépidos e perdidos
Longe de serem resolvidos
Falta que sinto de você.

Desabafo de um coração liberto.

Faz o seguinte...
Lembra daquelas frases que nos falamos como se fôssemos apenas um?E das declarações de amor que escrevestes pra mim, que soavam como bálsamo em meus ouvidos? Daqueles momentos que dizíamos ficarem eternizados em nossas memórias?
E das vontades que te fiz enquanto suprimia o que era meu?
Pois é...
Pegue tudo isso e transforme em vida já que me fizeste descer à realidade sem nenhuma compaixão.
Entregue ao silêncio as palavras que dizias ou mesmo a outro alguém que ainda acredite em amor eterno. Sem mágoa, ressentimento ou amargura, ensinaste-me a lhe ver como exatamente és e, isso já não me dói tanto porque, modestamente, sinto-me mais humana que você.
A lembrança dos momentos felizes transforme em fantasia, ou pelo menos pense que não existiu, afinal, o que são momentos pra quem sonhava te oferecer a vida. Sonhava... por que já não há em mim nenhum traço de ilusão em relação a nós.
Na verdade nunca houve “nós”, fui eu quem me fiz uma aos seus desejos e sonhos, esquece…