12 de fev de 2015

Simples ser

A noite veio sorrateira...
Nenhum frescor
Ar quente, quente mente.
Ruídos do dia entorpeceram os sentidos
Sentido sentindo
Atropelou-se entre veículos e passantes
Observou o nada
E os vazios...
Ficaram temporariamente preenchidos
Por imagens distorcidas
Ah, que um dia...
Depois de escorrer o momento
Da futilidade do trato
Insensatez fluídica dos modernos tempos
Descobrir-se só...
E só assim, perceber que boa parte de tudo
Nada foi...
Há de se querer voltar...
Para si, para ti
Simplesmente amar!

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer