20 de mar de 2011

Pensando...



Fogem-me as palavras, assim como deveriam fugir as lembranças. Há tanto a ser feito e, tropeço nas pedras que se impõem imaginariamente no caminho. Dentre todas as perdas, restou-me a esperança. Sentimentos confusos e difusos que não me permitem à liberdade. Vazios que precisam ser preenchidos, verdades que necessitam serem reinventadas, emoções ambíguas, coração contundido, pensamentos que verdadeiramente me perturbam. Aparente calma de quem muito anseia.

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 20/03/2011