25 de mar de 2011

Falando de amor

 

O amor é a serenidade que se adquire sem que se perceba.
Tão leve quanto o beijo de um pássaro em delicada flor.
Sublime entrega que se faz sem restrições, só por amor.
Doce sabor que alimenta e renova a vida.
O amor não dói, maltrata ou persegue.
É de sua natureza o desapego.
Doa-se apenas, sem esperar em troca.
O que se pensa ter sem medo.
Há no amor o encanto.
Princípio e fim de todo pranto.
Nos olhos, o brilho que traduz o que lhe vem à alma.
No toque a suavidade que acalma.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2010
Código do texto: T2049752