18 de out de 2011

Versos e reversos

Confuso silêncio que incomoda. Dúvidas e sentimentos desconexos. Aquela que clamava por liberdade tem por companheira definitiva à solidão. Não é que não a queiram. Acostumada a compreender os revezes da vida, a lidar com a incerteza e a insegurança oferecida, encontra-se como lago límpido e sereno na superfície, ocultando turbulências e dúvidas que turvam as águas profundas. Superficialmente claro e calmo...  Interiormente cansada e, quase descrente dos sentimentos expressos sem nenhuma emoção. Se pudesse, se ainda lhe restasse alguma possibilidade de sentir-se inteiramente amada, acolhida, abrigada, compreendida no que diz respeito às emoções genuinamente femininas que esperam muito do pouco que lhe oferecem... Ah se pudesse! Se de forma inesperada e simples, alguém lhe protegesse os sonhos, restaurando-lhe os essenciais... Pouco resta do sorriso que resplandecia, do encanto das sonoras gargalhadas que se ouvia. Vez ou outra, com os olhos encobertos por lágrimas, espera... Até que se obtenha domínio das emoções que incomodam, que a esperança se refaça e que a vida lhe outorgue seguir. Até que a ilusão, a utopia de sonhadora incorrigível, renasça, permitindo-lhe viver!

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer