29 de ago de 2011

Libertação


Dia claro,
Céu límpido e azul
Pássaros que entoam louvores ao Criador!
Atitudes de esperança e reconhecimento
Não há caminhos sem lamentos
Existência de flores em rompimentos
Asas que libertam sem o alçar do vôo
É quase primavera...
Renova-se a vida em cores e frutos
Gratuitamente,
Diante dos olhos indiferentes
Oferta-se o que de melhor existe!
E há quem pouco persiste
Quem ainda duvide
Que se entregue ao ostracismo
Quem cultive o egoísmo
Quem faça da vida um marasmo
Quem documenta em fracassos
Toda uma história biográfica
Paginas em branco
Olhos vendados ao mundo
Recluso...
Renova-se o que se empreende
E sempre...
Mesmo em circunstâncias inquietas
O que se espera, não se supera
Imprescindível doar-se ao mundo
Libertar alma do peso que estarrece
Alimentar sentimentos que enobrecem
Direcionando pensamentos
Renovação que a natureza oferece!