28 de abr de 2011

Recordações



Em prece me disponho é enumerar as bençãos que tenho recebido nesta existência.
Me recordo da infância, do carinho...amor incondicional que recebia, todas às vezes que chorando, corria para o colo seguro das pessoas que me amavam...
São lembranças felizes de puro aprendizado. Recordo-me das vezes em que me ajoelhei para rezar o terço com minha avó. Das lágrimas que ficaram presas em seus olhos, enquanto aceitava corajosamente a vontade de Deus.
Lembro-me das gargalhadas do meu avó que nasciam de dentro. Seu jeito culto e inteligente de vislumbrar a vida. Quando algo acontecia, ele dizia : “podia ser pior”.Na época eram só palavras...hoje, sei que tudo realmente pode ser pior.
Cada um, na sua forma de amar, transmitindo o que seria necessário.
Aprendi a ver a vida com os olhos do amor! A amar verdadeiramente meu semelhante, a me importar com as pessoas, a sofrer junto e enxugar lágrimas, a ouvir, analisar, ponderar o que for preciso e a ter fé.
Essa última, me serve de sustentação e alicerce. Sempre que algo me acontece, seja na alegria ou na dor, encontro na fé a paciência que necessito para enfrentar as adversidades e, no coração, o sentimento de gratidão e reconhecimento por tudo que recebo.
Há quem me veja como sonhadora...utópica...ingênua...mas, o que realmente importa pra mim é o que sinto.
Como se não bastasse os familiares de sangue, a vida vem me presenteando com amizades sinceras, reconhecimentos de afeto que somam e se transformam diariamente. Recebo cada um que chega, com a mesma alegria e amor que me receberam.
Curiosamente, sinto que a cada pessoa que conheço, me renovo... daí me sentir em constante mudança. Parece-me que estamos mesmo neste mundo para repartir. Deixando partes de nós no coração das pessoas e acumulando sentimentos de amor, respeito e admiração de uma forma infinita e maravilhosa.
Agora, enquanto escrevo, sinto-me preenchida pelo amor de todos que me vêm à memória. Os que passaram e deixaram marcas profundas e inesquecíveis; que mesmo que distantes, estão presentes; preenchendo minha vida com suas lembranças. Eu não saberia dizer quantos...mas me recordo de todos...
Sei que muitos ainda virão...que com cada um deles estarei aprendendo. E, assim vivendo, que consigo transformar meu caminho em um jornada de amor...interminável e valiosa.
Em prece...ainda não encontro palavras pra agradecer. Mas, lágrimas de pura reconhecimento e alegria invadem minha face. Fecho os olhos... e a única palavra que me vem a mente é : OBRIGADA!






Wanderlúcia Welerson Sott Meyer