21 de nov de 2011

Saudades


Tons, sons, odores e lembranças
A saudade instaura-se como recordação
Passados não passam quando o que se tem é alegria
Impossível revivê-los,
Senti-los, inevitável...
Onde os pequenos sonhos?
Ingênuos anseios
Crédulos desejos
Passos, ilusoriamente, livres
Abraços que foram absorvidos pela existência
Sorrisos francos e ternos
Momentos lúcidos e luminosos
Pessoas que não mais verei
Diálogos amigos
Acolhimento da escuta atenta, desinteressada
Presença certa
Aceitação franca e generosa
Ecoando sentimentos definitivos e eternos
Saudade...
Da simplicidade de vida
Distante, perdida
Que hora é necessidade preeminente
Condição de vida!
Saudade...
Que se encontra agora no presente
Como fórmula do que se almeja
Simples, francos, ternos, eternos momentos
Onde o que prevalece é o sentimento
Ágape amor que importa
Lucidez de quem crê
Que vale mais o Ser!


Wanderlúcia Welerson Sott Meyer