27 de mai de 2011

CERTEZAS DUVIDOSAS

Certezas duvidosas

Muitos dias e nenhuma escrita

Embotamento interior

Fatos submersos que incomodam

Dor...

Alguma... Muita!

Indefinível estado de Ser.

Pedem-me calma...

Resigna-te!

Vende os olhos e esqueça.

Ao menos, temporariamente.

Rogam-lhe paciência.

Muito se pede para a alma opressa

Impotência, medo...

Dias em que a fé sustenta

A palavra cala

A voz parece desaparecer.

Prisão instituída pelo saber.

Tão própria aos que procuram

Tanto engano ao desvendar o oculto

Sinais que confundem à realidade

Fervilham desconexas idéias

Não se sabe o tempo!

Não cabe o lamento!

Necessário ser...

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 27/05/2011
Código do texto: T2996256