14 de jan de 2013

Redescobrir



Silenciosamente, busca preencher vazios. Anos que passam céleres, recordações e lembranças. Heranças mal concedidas, posições avessas, tudo tão distante... Profundos reservatórios onde se encontram depositados sonhos. Prestados os devidos ajustes, reviram-se imaginários papéis onde se busca o essencial. Descanso de corpo, trabalho da alma. Quando o silêncio absorve é o pensamento que se envolve em um intenso balanço. Milhares de fatos sobrecarregados e adversos, ocos estágios de intimidade mergulhada em corpo de matéria densa. Anseio por liberdade e o desejo de que uma leve ventania conduza ao êxtase de vida plena, feliz... Encharcada de uma simplicidade natural, dessas que só se sente momentaneamente e de forma intensa. Grito silencioso de alforria quase que tardia, utopias alimentadas, ritmos redefinidos... Recomeça-se a jornada.