13 de jan de 2013

Estilhaços



Estilhaços

Com o tempo vidraças se estilhaçam, não é possível permanecer alheio o tempo todo. Por vezes, é preciso romper, dilapidar, escancarar as janelas para permitir que a vida se refaça. Ato de ousadia que permite renovação. Mesmo que estilhas permaneçam na pele, ainda incomodando, provocando desajustes temporários, seguir é condição de vida. Quem aspira ascender precisa acolher as perdas, reavaliar enganos, redescobrir conceitos, ceder as evidências, reconduzir verdades e permitir-se equívocos. Distanciar-se do que poderia ter sido, existindo intensamente em cada circunstância oferecida pela vida. Mostrar-se grato e, incondicionalmente, reconhecido pelas experiências.