5 de dez de 2011

Naturalmente


As flores do jardim renovam a esperança
Rosa rubra que, apesar das tempestades
Estabelece-se, esperando a generosidade do olhar
Palmas que germinam, em breve, flores
Pássaros que desfrutam dos galhos, ramos e sementes.
Melodias imperceptíveis à insensibilidade
Ainda é primavera...
O coração espera nova era
Esperança vertida em lágrimas
Umedecendo e fertilizando o caminho
Desmistificando sentimentos
Desvendando mistérios interiores
Espera...
Há vida a quem se supera
Segue fecunda...
A natureza aguarda o despertar dos olhos
Ofertando sons, melodia, flores
Sem pedir em troca graças e favores.