13 de mai de 2010

JESSE - VOA LIBERDADE.

Fênix 
Todas as manhãs, internamente sente o grito da alma que busca pelo recomeço. É preciso renascer todos os dias para que a vida siga seu curso. Um grito surdo que de tão forte provoca dores quase que insuportáveis. Desejo oculto de perseguir todos os sonhos esquecidos. Algo que pode ir do lamento a inevitável sensação de incômodo que não lhe permite estagnar. Todas as manhãs, renasce uma sensação de incompletude, uma falsa percepção de que perdera algo... Nunca se perde nada, abandona-se para que a liberdade continue a existir. Se de tudo só restarem cinzas, ainda restam...

 Wanderlúcia Welerson Sott Meyer 
5/2010 Código do texto: T2254050