26 de out de 2013

Saudade

A saudade sussurra como o vento
Chega de repente...
Trazendo lembranças, momentos e odores.
Instala-se
Segue balançando as folhas da vida
Algumas caem, transformam-se.
Outras viajam distantes, para lugares ignorados.
É nota definida impregnada de histórias
Só sente quem viveu, deixou-se conduzir.
Entregou-se à leveza
Distanciou-se do assombro de não existir.
Só sente quem define, imprime, entrega
Sem medo de feridas, confere as cegas.
Pior do que senti-la?
Arrependimento, contrição.
Medo de conferir à vida
Cessão contrária à repressão
Remorso de não ter feito
Receio sem explicação.
Saudades quando nos chegam
Trazem lágrimas, sorrisos, encantos.
Certeza de existência

Verdadeiro acalanto!


Wanderlúcia Welerson Sott Meyer