22 de jan de 2011

Jeito de gente



     Tem gente que sente e não sabe dizer ou decifrar o que está sentindo. Mas o corpo não mente, pressente e se vê caindo. Tem gente que se expressa sem dizer o que lhe vai indo. E vai se diluindo por entre histórias findas e não concluídas. Deixando rastros de dores e lágrimas, não de sofrimento, mas, forte arrependimento por não ter ousado viver.
     Tem gente que pressente, mas não sente. Não permite que a intuição lhe ofereça possibilidades. Tal qual passageiro que viaja sem observar a paisagem. Deixa que o tempo leve toda sua mocidade. Desperdiçando vontades adormecidas, desejos inconclusos que latejam como passado mal resolvido.
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 22/01/2011
Código do texto: T2745692