11 de jul de 2008

Silêncio

Há um silêncio...
Não porque não tenha nada a dizer.
Há algo que cala fundo.
Onde proferir palavras
Já não basta.

Há um silêncio...
Que atordoa, empedra.
Não condiz com os sonhos de outrora.
E caminho, lentamente
Ouvindo ao longe o ardor
De sentimentos que perturbam.

Há um silêncio...
E já não há quem possa rompê-lo.
Segredos ficaram guardados para sempre.
Desejos reprimidos...
E ao longe ouço sua voz a me chamar.

Há um silêncio...
E nesse silêncio sinto minhas lágrimas.
Caem copiosamente...
Há o desejo...
Há o anseio...
Falta-me coragem!