6 de jul de 2008

Confissões




Gosto de ser mulher,
Menina, mimada
Às vezes, deixando-me ser domada
Mas, senhora absoluta de minhas vontades
Gosto de ser amada, querida
E até me sentir perdida
Chorar por nada
Sensibilizar-me,
Deixando que as lágrimas
Encharquem meu rosto.
Gosto de ter dúvidas
E me mostrar incerta, indecisa
Espontaneamente bela
Mesmo que seja só pra mim.
Gosto de sorrir ingenuamente
De mostrar-me frágil
Quando na verdade sei que tenho
Todas as respostas que preciso
Gosto de ser feminina felina
Um misto de desejos
Que apenas eu conheço.