5 de abr de 2016

Metamorfose

O que muda internamente? Aos poucos tudo. Percepção de travessias, ainda mornas, ainda alimentadas pela taciturnidade, ainda reflexão. Vácuo e doloroso incômodo no plexo cardíaco, esforço de concentração, busca... De quê? Certamente não se sabe. Quando já dominamos os instintos, os impulsos, as instigações externas... Silenciamos e começamos a compreender o que nos pede a alma. Os gritos, antes surdos passam a ser decodificados e, aos poucos os que não percebiam o incômodo começam a se impressionar... Sem palavras que expliquem ou argumentos que lhe sirvam, segue...