29 de set de 2013

Serenidade

Tudo está tão claro!
Tranquilidade traduzida em vontade
Espera serena de quem aprende que há sentimentos extensos
Nobres e estáveis que envolvem sem absorver
Nem tantas dores, nem pranto
Encanto incompreendido da realidade vivida
Buscar-se, amar-se, entregar-se
Sem muito espera, doar-se...
Pacífico coração que compreende, aceita, redime
Redimensiona o que antes pouca vida apresentava
Reserva de sensações inalteradas
Germinam quando menos se espera
Supera, sossega e sorri
É fato!
Nada é absolutamente exato...