7 de mar de 2013

Tronco em flor - Mulher


Não procure desvendar o que espera e quer uma Mulher, nem mesmo Freud conseguiu, apenas sinta.
O sentir eleva possibilidades de encontro com o outro.
Desvende em seus olhos a sobrecarga diária de compromissos pequenos que fazem toda a diferença na vida dos que a cercam. Sinta as inúmeras vezes em que ela apenas espera que lhe ofereçam colo. Inspire-se nos inúmeros momentos em que o cansaço é visível e a vida pede continuidade. Um filho que roga presença, o desdobramento para atender aos pedidos de presença e, a culpa interminável que se carrega sem ter culpa submersa no desejo de ser fonte inesgotável. Sinta que as reclamações diárias podem ser gritos surdos de socorro de quem atende a todos, esquecendo-se de si. Sinta... Perceba que suas lágrimas não são de revolta, desistência, medo... Há em cada uma delas o desejo de porvir, a inquietude de felicidade possível. Como se fácil fosse desenvolver desejos de mudança e estabelecer caminhos para que não sofram. Sinta seus sonhos... Quase todos não lhe pertencem, quase todos são coletivos... Envolvem pessoas e caminhos.
Alimente-se com a alegria que ela transborda ao receber flores, gentilezas, amores.
Não procure desvendar o que espera e quer uma mulher, apenas aceite esse inevitável e envolvente desejo ardente de entregar-se ao mundo. Ser absoluto, Ser Mulher!