24 de jun de 2010

Lembranças


Dessa saudade, resta-me a lembrança.
Desperta!
Renova a esperança!
Herança de tempos vividos
Eternizados por tudo o que se deposita em vida.
Há vida!
Tão complexa e incompreensível
Como tudo que não é visível.
Como o que busca se entender
Sem nenhum texto, contexto ou teoria.
Como crença sentida.
Desmedida.
Que mais liberta do que aprisiona.
Como quando se rompe entranhas
Sem saber ao certo o que lhe espera.
Nascer chorando.
Renascer sorrindo.
Crer no que ninguém valoriza!
Não deixar-se escravizar pela vida!
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Publicado no Recanto das Letras em 24/06/2010
Código do texto: T2338854