4 de nov de 2016

Reflexões

Refletindo no espelho marcas de história, segue caminhos de uma trajetória sempre indefinida. Não sabe dizer se o que vê lhe incomoda, apenas recorda-se do sorriso despretensioso que com o tempo foi substituído por traços contemplativos e circunspectos. Internamente, há algo de incômodo: palavras nunca ditas, sonhos reservados, desejos corrompidos e necessidades esquecidas. O reflexo indica o reverso do que a alma almeja. Certa leveza, ideias desconexas, uma vontade perplexa de redirecionar direções. Enquanto houver vida, a possibilidade é sempre infinda. Talvez seja por isso que apesar do cansaço intua e inclua a esperança nos reflexões que sustenta.