17 de dez de 2009

AOS QUE AMAM...






Um coração adormecido, cansado em busca de abrigo.

Desocupado e sem vida pode querer outra saída,

Senão o desejo de se abandonar a lida.

Um coração saliente, quente, ardente que incendeia quando o amor está ausente.

Da entrega ao vazio, o risco...

Um coração bravio, não deseja nada a não ser seguir por toda estrada,

Amando, sentindo, querendo, gostando, atraindo como imã o que internamente aspira.

Suspira por encontrar quem entenda, envolva e tome posse definitiva do que sente.

Reticente coração tranquilo...
Que espera, supera a expectativa de criança,

Herança de quem admitiu ser amada.
De quem anseia calada, discreta, fechada
Que no caminhar, na estrada...
Possa dizer a que veio
Amando, Amado, Amor!

Wanderlúcia Welerson Sott Meyer

Publicado no Recanto das Letras em 17/12/2009


Código do texto: T1982411